Deixe seu Depoimento!


*Campos obrigatórios

Depoimentos

L. R.

Antes do processo eu tinha alguns cursos em mente mas não sabia ao certo o que se encaixava comigo e tinha dúvidas se realmente gostava de algumas áreas. Durante a OP fui entendendo coisas que gostava e combinavam com o meu perfil. Agora me sinto mais segura e confiante para escolher um curso e tenho opções mais definidas em minha cabeça.

P. C.

Comecei o processo de orientação profissional com o Instituto de Carreira e Orientação aos 16 anos, logo no início do terceiro ano do EM, com uma demanda, bastante específica, que foi logo entendida pela profissional com quem trabalhei. Naquele período, a pressão da escolha de curso, momento pandêmico e lacunas no conhecimento das possibilidades me deixaram bastante insegura em relação a muitas questões do meu futuro profissional. Com o decorrer das seções, fui capaz de sanar dúvidas e de fato considerar todas as opções que me cabiam. A participação e realização de atividades relacionadas ao trabalho de OP foi essencial para destacar, tanto dados que eu já conhecia, como aspectos que não eram tão familiares. Com o fim do processo, que passou super rápido, a devolutiva foi suficiente para clarear as minhas opções e guiar a minha escolha sem que me sentisse obrigada e, muito menos, desamparada.

L. G.

Eu tinha algumas ideias sobre o caminho que eu desejava, mas tinha algumas dúvidas que eu achava “simples” de resolver. Durante o processo, percebi que não eram dúvidas tão simples. Com o passar do tempo fui me aprofundando nos assuntos e me sentindo mais preparado. O resultado do processo foi o que eu esperava, mas como eu consegui conhecer melhor sobre o curso e sobre mim mesmo, tive uma certeza mais firme sobre o que realmente quero!

M. N.

Bom, estava totalmente perdida, sem muitas ideias e objetivos definidos. Nem mesmo pensava em que área realmente queria seguir. Com certeza foi um processo engrandecedor. Entendi muito do que se passava na minha cabeça e pensei melhor sobre as motivações das minhas decisões. Vi a importância de me priorizar, e vou levar isso para outras questões da minha vida.

K. C. S.

Meu antes era repleto de caminhos que formavam um labirinto sem saída…Eu via possibilidades de caminhos, porém não tinha certeza de qual era o melhor trajeto… Para dar início a trajetória foi preciso primeiro conhecer meus desejos, minha experiência, meus desgostos, qualidades, preferências e carências. Foi então que comecei a enxergar melhor essas possibilidades. Algumas são um tanto quanto longas…Outras um tanto quanto curtas demais…Mas todas têm um excelente destino e me despertam interesses! Todas , ao mesmo tempo, não poderei percorrer, e para isso precisarei escolher por qual delas começar. Percebi que não precisava ser uma maratona cronometrada e competitiva, que posso percorrer os caminhos um por vez e explorar o melhor de cada um deles. Caso eu queira parar para pensar, dar meia volta e mudar de rota é permitido, e essa é a melhor regra! Agora é hora de agir dando os primeiros passos em direção ao objetivo final, ou será o inicial? Enfim… em direção ao melhor projeto de mim!

G. S.

Antes do processo estava bem confuso no que fazer como especialização, apesar de ter passado em educação física em uma universidade, minha cabeça estava na área de oceanografia. Durante o processo confesso que fiquei ainda mais confuso no que fazer, cheguei até considerar cursos bem distantes do que planejava, mas sem tomar uma decisão final. No fim do processo diminuí um pouco meu interesse em algumas áreas que tinha em mente e aumentei em outras que não havia considerado. Apesar de ainda não saber que curso prestar, o processo me ajudou a encontrar uma direção.

O. A.

Antes de começar o processo de Orientação Profissional, eu estava perdida.Não sabia onde queria estar, o que queria ser, nada. E quando se sabe tão pouco sobre si mesmo, é difiícil ter qualquer perspectiva de vida. Durante o processo, aprendi muito sobre mim mesma, coisas que nem sequer passavam pela minha cabeça. Hoje, já tendo um norte pelo qual me guiar, me sinto muito mais motivada a estudar, ler… Essa era uma dúvida que me consumia, principalmente por já ter terminado o Ensino Médio e ainda não ter tomado uma decisão, e ter esse peso retirado dos ombros fez com que eu pudesse melhorar também outros aspectos da minha vida. Esse foi um processo revigorante, em uma palavra, e melhorou minha vida em todos os aspectos possíveis.

P.H.C.

Antes de ter minhas consultas com o ICOP, eu tinha muitas dúvidas sobre a carreira que eu queria seguir na minha vida, e no geral era muito inseguro com relação ao meu futuro. Ao longo das sessões das sessões, com os vários testes e atividades que realizei, meu entendimento sobre a quantidade de profissões/ possibilidades e mesmo meu autoconhecimento aumentou consideravelmente. Tanto minha confiança quanto meu autoconhecimento aumentaram drasticamente depois da orientação profissional, e agora sinto muito mais segurança com relação ao meu futuro, já que sei o que gostaria de fazer e sei a melhor maneira de pôr isso em prática.

L.A.

Cheguei ao ICOP sem perspectiva e bem perdida com relação ao meu futuro profissional, já formada e atuando na área de formação, mas infeliz. A orientação profissional com a Dra. Rafaela foi me guiando com exercícios que instigaram a pensar mais sobre minhas aptidões e personalidade, desconstruindo inclusive o que pra mim foi certo por muito tempo. Meu plano agora é empreender em algo que seja rentável e me traga satisfação profissional, atuando com carga horária reduzida no trabalho atual até viabilizar o projeto. Gostei muito e recomendo para todos que se sentem perdidos!

N.S.

O Processo de Orientação Profissional foi para mim uma restauração consciente de quem sou, de como trabalho e do que sou capaz de fazer. Sinto que estou mais confiante no que quero oferecer, não me comparo mais negativamente, mas vejo o que não quero e o que quero ser. Finalmente, me sinto eu mesma novamente. Hoje sinto certezas, emoções e uma fé que há muito tempo não sentia. Sinto-me muito feliz em ter um projeto no qual trabalhar. Ainda há muito o que desenvolver, muito trabalho a ser feito e muita coisa para aprender. E isso me deixa feliz. Não vou me permitir ficar entediada, desocupada ou mesmo me sentir vítima das circunstâncias. Nasci lutadora e vou continuar assim. Agradeço à equipe ICOP e sobretudo à Dra. Rafaela pelas conversas e orientações, por me ouvir e compreender… Realmente me auxiliou nesse reencontro comigo mesma.