Notícias e Artigos

Enem 2021: horas sem celular pode gerar ansiedade em estudantes

Pelo menos 5 horas sem acessar o celular. Essa será a realidade dos mais de 3 milhões de inscritos no Enem 2021, os quais não terão outra opção senão deixar o aparelho guardado e desligado enquanto fazem as provas. O exame educacional está marcado para os dois próximos domingos, 21 e 28 de novembro.

Guardar o smartphone em um envelope que será fornecido pelo fiscal de sala do Enem 2021 é uma orientação expressa do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), organizador do exame. E a determinação do Inep vai além: caso o celular do estudante toque durante as provas, o inscrito será eliminado.

Mas, e qual será a sensação dos jovens ao ficar esse tempo todo sem conferir as novidades no celular? Especialistas em educação apontam que esse período off-line pode ser um problema para quem não está acostumado a deixar as teclas e as notificações de lado.

Um exemplo de como o celular é importante para as pessoas foi demonstrado em um estudo realizado na Coreia do Sul e publicado no periódico Cyberpsychology, Behavior, and Social Networking pela City University de Hong Kong. A pesquisa concluiu que alguns estudantes veem os smartphones como uma extensão de seus corpos e de sua identidade.

Afinal, os smartphones não são usados apenas para comunicação entre pessoas, mas também leituras, pesquisas, agenda, registrar momentos por meio de fotos e vídeos, localização (GPS), assistir séries e filmes, jogar, aprender, entre tantas outras funções.

Dependência

Estar sem o celular em mãos pode gerar ansiedade, angústia e até medo para algumas pessoas. Há até uma palavra para isso: “nomofobia”. O termo vem da expressão em inglês “no mobile phobia”, literalmente “medo de ficar sem celular”.

Renata Petry, 19 anos, de Curitiba, afirma que é muito dependente do celular. “Como eu fico o dia inteiro fora de casa, esse é o meio de comunicação que tenho com meus familiares. Além disso, o celular me proporciona entretenimento”, explica.

Esta é a terceira vez que a estudante curitibana vai fazer o Enem. Na primeira vez, estava ansiosa para terminar rápido para acessar o celular. Mas, hoje, entende que essa pressa não gerou resultado positivo e tem total consciência de que ficar algumas horas sem usar o aparelho não vai afetar em nada.

Quando Renata está estudando e o celular toca ou recebe notificações, ela perde totalmente o foco. Como o smartphone atrapalha o momento de estudo, a jovem resolveu diminuir o tempo de uso do aparelho para a preparação para o Enem 2021.

“Desativei minhas redes sociais e tirei as notificações do meu celular. Essa atitude me ajudou e pude me concentrar e fazer render os estudos”.

Para o Enem 2021, a estudante vai levar o celular apenas para usá-lo após a prova, para poder pedir um transporte de volta pra casa.

Falta de concentração

Gabrielle Ribeiro, 19 anos, do Rio de Janeiro, diz que ficou, sim, ansiosa ao estar longe do celular no primeiro Enem que realizou e cujas provas foram aplicadas em janeiro deste ano.

A jovem queria saber o que estava acontecendo nas redes sociais. “Queria saber quantos seguidores eu ganhei e o que comentaram nos meus vídeos. Até aprender a lidar melhor com essa ansiedade eu fiquei bem mal”, desabafa.

Dona de perfis no TikTok e no Instagram nos quais fala de produtividade nos estudos, a estudante admite que a sua média de uso do aparelho é um pouco alta, pelas redes sociais serem seus instrumentos de trabalho. Mas, Gabrielle admite que tem exercitado ficar longe do celular mais tempo em prol da sua preparação para o Enem 2021.

“Creio que com discernimento e responsabilidade você consegue administrar e foi o que eu fiz. Diminui drasticamente meu uso de celular desligando-o durante o dia no meu horário de estudo. Eu até chego a colocá-lo na mochila de alguma amiga, assim eu não corro o risco de pegar, ligar e usar”, analisa.

Durante as provas, Gabrielle diz que, como a pressão é tão grande, ela acaba esquecendo do celular. “Apenas conforme vai chegando ao final e eu fico cansada que me dá vontade de entrar nas redes”, confessa.

Prepare-se para ficar longe do celular

O ideal, de acordo com Rafaela de Faria, doutora em Educação e professora do curso de Psicologia da Universidade Positivo, é que os estudantes aprendam a deixar o celular de lado aos poucos. O objetivo é focar na disciplina dos estudos para aumentar as chances de conquistar a vaga na universidade de escolha.

“Preparar-se para essas longas horas longe do smartphone também é uma parte importante na maratona de estudos. É preciso exercitar o cérebro para que ele permaneça tranquilo ao longo da preparação dos estudos e da resolução da prova”.

A principal dica para conseguir chegar no dia da prova do Enem sem tanta ansiedade para usar o celular, conforme ressalta a doutora Rafaela, é tornar a rotina de estudos mais analógica. Para ela, essa prática contribui para que o estudante comece a associar o momento de estudo a estar sem o celular à mão.

Confira mais dicas para deixar o celular de lado durante os estudos:

  • Evite ler e estudar pelo celular;
  • Dê preferência aos livros, apostilas e computador;
  • Monitore quanto tempo você fica no celular;
  • Deixe o celular em uma gaveta, longe de você ou em outro cômodo;
  • Desative todas as notificações;
  • Coloque alarmes como lembrete para encerrar o acesso ao celular e voltar aos estudos;
  • Estabeleça horários para usar o aparelho.

A estudante Gabrielle Ribeiro oferece mais uma dica: use o celular apenas para o básico, evitando instalar agendas e a aplicativos de organização. “Quanto mais aplicativos para tarefas simples do dia a dia você tiver instalado no celular, mais difícil vai ser passar um tempo sem ele”, aconselha.

“Durante os estudos, podemos trocar o celular pelo lápis e papel em várias ocasiões. Não pense muito, apenas desligue o aparelho, peça a um amigo para ficar com ele se necessário. No começo incomoda, mas os resultados são muito satisfatórios!” (Gabrielle Ribeiro)

Enem 2021

Participantes de todo o Brasil vão fazer as provas nas tardes de dois domingos. No primeiro dia (21), a prova será aplicada das 13h30 às 19h e contará com uma redação e 90 questões objetivas de Linguanges e Códigos e Ciências Humanas.

No segundo domingo do Enem 2021, 28 de novembro, a prova será realizada das 13h30 às 18h30. Os estudantes deverão responder 90 questões de Matemática e Ciências da Natureza.

O Brasil Escola divulgará o gabarito extraoficial do Enem 2021 em tempo real e fará uma live comentando as questões logo depois das provas.

Texto extraído de: https://vestibular.brasilescola.uol.com.br/enem/enem-2021-horas-sem-celular-pode-gerar-ansiedade-em-estudantes/351190.html